Ciência

Sonda chinesa coleta amostras da Lua

Em missão inédita, Chang'e-6 investiga lado oculto do satélite

Por: Katia Calsavara

05/06/2024 12:38 atualizado há 40 segundos

Imagem Sonda chinesa coleta amostras da Lua
Créditos da imagem: CNSA/Reprodução

A China acaba de deixar sua bandeira fincada no lado oculto da Lua – que não conseguimos ver a partir da Terra. No domingo (2), a sonda Chang'e-6 desceu em uma gigantesca cratera chamada Apollo, na bacia Polo Sul-Aitken. Segundo informações da Administração Espacial Nacional da China (CNSA), a sonda coletou com sucesso amostras da região lunar e iniciou o retorno à Terra na noite de segunda-feira (3).

O porta-voz da missão, Ge Ping, afirmou que a análise dessas amostras vai permitir que os cientistas possam "aprofundar a pesquisa sobre a formação e a evolução histórica da Lua".

A Chang'e-6 saiu da Terra no dia 3 de maio deste ano, direto da província de Hainan, no sul da China. A sonda usou uma furadeira e um braço robótico para escavar o solo. As amostras serão transferidas para um módulo de retorno e devem pousar na região da Mongólia Interior, no norte da China, no dia 25 deste mês.

Em dezembro de 2020, a China já havia lançado a missão Chang'e-5, que coletou amostras do lado visível da Lua. Desde então, a última empreitada nesse sentido foi da antiga União Soviética, em 1976, que resgatou 170,1 gramas de amostras do Mare Crisium, também no lado visível da Lua.

Nos últimos anos, o país asiático obteve outras importantes conquistas espaciais, como a construção da estação espacial Tiangong, o pouso de robôs de exploração em Marte e na Lua e o envio de missões tripuladas.

Agressores racistas de Vini Jr. são condenados.

Jogador do Real Madrid comemorou a decisão histórica

Brasileira ganha Copa do Mundo de patins.

A sorocabana Ana Júlia da Silva, a Julika, é a primeira mulher a realizar a manobra 900º

Ursos polares podem desaparecer no Canadá.

Estudo aponta que o período sem gelo deve aumentar e prejudicar a vida desses animais

Celebração da música será dia 21 de junho.

Pela primeira vez, o Make Music Day vai acontecer nas escolas da rede de São Paulo

Caribé: “Olimpíada é um sonho”.

Nadador é uma das promessas para os 50 e 100 metros livres

Nas ondas com Tati Weston-Webb.

Brasileira, que surfou pela primeira vez aos 8 anos, é inspiração

Pepê representa o Brasil na canoagem cross.

Nova modalidade de canoagem estreia nos Jogos de Paris em 2024

Rebeca Andrade vai com tudo para Paris.

Confira entrevista exclusiva com a ginasta brasileira que é um dos trunfos do Brasil na França

Por que falamos “idade da pedra” (para nos referir a coisas antigas)?.

Para responder é preciso voltar à época quando os humanos lascavam pedaços afiados de pedra a partir de blocos maiores de rocha

Última Edição

Utilizamos cookies para garantir a melhor experiência em nosso site. Para concordar, clique em "Entendi". Saiba mais...