Brasil

Cai número de analfabetos no Brasil

No entanto, segundos dados do IBGE, país ainda registra 11,4 milhões de pessoas que não sabem ler nem escrever

Por: Katia Calsavara

17/05/2024 14:55 atualizado há 48 segundos

Imagem Cai número de analfabetos no Brasil
Créditos da imagem: iStock

A taxa de pessoas que ainda não sabem ler nem escrever no Brasil caiu de 9,6% em 2010 para 7% em 2022. Isso significa que, nesse período, cerca de 2,5 milhões de pessoas com 15 anos ou mais deixaram de ser analfabetas. Esses dados do Censo Demográfico foram divulgados nesta sexta-feira (17) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

O índice de 7% ainda revela que o Brasil tinha, em 2022, 11,4 milhões de pessoas que não sabiam escrever um bilhete simples – para se ter ideia, o total de pessoas registrado nessa faixa etária foi de quase 163 milhões. É muita gente, não é? Vale lembrar que falamos no passado, porque a pesquisa se refere até o ano de 2022.

Desde que a pesquisa começou a ser realizada pelo Instituto, em 1940, esse é o menor índice já registrado. Naquela época, mais da metade da população (56%) não era alfabetizada. Segundo a atual pesquisa, o analfabetismo entre pretos e pardos é mais que o dobro do registrado entre brancos – são 10,1% negros, 8,8% pardos e 4,3% brancos.

Outra camada da população bastante afetada pelo analfabetismo é a de idosos. O grupo com 65 anos ou mais registrou 20,3%, enquanto os mais jovens, entre 15 e 19 anos, atingiu a menor taxa (1,5%). Esse índice sinaliza que as novas gerações têm tido maior acesso à educação.

Evolução

Em 1940

44% das pessoas eram alfabetizadas

56% eram analfabetas

Em 2022

93% eram alfabetizadas

7% eram analfabetas

Fonte: IBGE, Censo Demográfico 1940/2022

Celebração da música será dia 21 de junho.

Pela primeira vez, o Make Music Day vai acontecer nas escolas da rede de São Paulo

Agressores racistas de Vini Jr. são condenados.

Jogador do Real Madrid comemorou a decisão histórica

Caribé: “Olimpíada é um sonho”.

Nadador é uma das promessas para os 50 e 100 metros livres

Nas ondas com Tati Weston-Webb.

Brasileira, que surfou pela primeira vez aos 8 anos, é inspiração

Pepê representa o Brasil na canoagem cross.

Nova modalidade de canoagem estreia nos Jogos de Paris em 2024

Brasileira ganha Copa do Mundo de patins.

A sorocabana Ana Júlia da Silva, a Julika, é a primeira mulher a realizar a manobra 900º

Rebeca Andrade vai com tudo para Paris.

Confira entrevista exclusiva com a ginasta brasileira que é um dos trunfos do Brasil na França

Foto de cão que pensa ser gato ganha prêmio.

Hector é a estrela de imagem escolhida no The Comedy Pet Photo Awards

Por que falamos “idade da pedra” (para nos referir a coisas antigas)?.

Para responder é preciso voltar à época quando os humanos lascavam pedaços afiados de pedra a partir de blocos maiores de rocha

Última Edição

Utilizamos cookies para garantir a melhor experiência em nosso site. Para concordar, clique em "Entendi". Saiba mais...