Entrevista

Mineira de 10 anos fala sobre missão de cuidar da Terra

Júlia Bonitese criou projeto para incentivar os jovens a defenderem o meio ambiente

Por: Marcela Ibelli

17/03/2023 13:29 atualizado há 29 segundos

Imagem Mineira de 10 anos fala sobre missão de cuidar da Terra
Créditos da imagem: Fotos: Divulçação/Arquivo Pessoal

Foi em 2021, durante o isolamento causado pela pandemia, quando passou uma temporada em um sítio, que Júlia, 10 anos, começou a olhar para a natureza à sua volta. Teve, então, a ideia de criar o projeto Pequenos Protetores do Planeta (PPP), que incentiva os jovens a defenderem o meio ambiente. Pela ação, a estudante do 5º ano do Colégio Santo Agostinho, em Belo Horizonte (MG), foi citada pela Organização das Nações Unidas (ONU) como uma das mais novas ativistas ambientais do Brasil. Ela conversou com a Qualé.


Como surgiu o PPP?

No começo, criei uma página no Instagram para dar dicas sobre descarte correto de lixo e plantio para as famílias, mas ela cresceu tanto que comecei a falar com mais gente. Achei que era importante ensinar as crianças sobre consciência ambiental. Afinal, nós somos o futuro e vamos sofrer mais com as consequências. Crianças têm direito a um planeta saudável, e também devemos aprender a cuidar dele. Criei, então, outras plataformas para

disseminar a ideia, entre elas o PPP.


Agora você também apresenta um programa de entrevistas?

Depois do Instagram criamos o Papo Natural, que foi uma live que reuniu crianças para falar

sobre o meio ambiente. Em 2022, virou um programa mesmo, no qual entrevisto outros defensores do meio ambiente. Conheci pessoas de quem virei fã, como Catarina Lorenzo, do Children vs Climate Crisis, e Luciano Frontelle, da organização Plant-for-the-Planet.


Você também dá oficinas às crianças nas escolas?

Sim, sobre reflorestamento das áreas urbanas. Ensino a fazer as bombinhas de sementes**, bolinhas de papel reciclado que são ‘lançadas’ em solos degradados. Acho engraçado que, no começo, os alunos não querem mexer no papel picado e molhado, têm nojo. Vou mostrando que não é assim. Depois, eles gostam e percebem que podem acompanhar o nascimento e desenvolvimento das plantas.


**FAÇA SUAS BOMBINHAS DE SEMENTES

A ativista ensina as crianças a ‘embalar’ sementes e depois ‘lançá-las’ em terrenos, quintais e locais que precisam de um pouquinho de verde. “Mostro o desenvolvimento da plantinha e falo sobre a importância da reciclagem, já que uso papel reciclado”, conta.


O que você precisa:

Papel usado (folhas escritas, jornal)

Sementes de crescimento rápido, como chia, linhaça e alpiste

Balde, bacia e bandeja (para colocar os ingredientes)

Caixa de ovo vazia para colocar as bolinhas e acompanhar a germinação


Como fazer:

Pique o papel.

Coloque-o na água e deixe por, pelo menos, uma hora (o ideal é o papel ficar bem molinho).

Triture tudo no liquidificador.

Retire todo o excesso de água e esprema bem.

Faça bolinhas do papel com as sementes, com o cuidado de envolver bem o ‘recheio’.

Deposite as bolinhas nos espaços de cada ovo da caixinha ou arremesse as bombinhas em

terrenos, quintais e jardins por aí.



Brasileira ganha Copa do Mundo de patins.

A sorocabana Ana Júlia da Silva, a Julika, é a primeira mulher a realizar a manobra 900º

Rebeca Andrade ganha sua versão Barbie.

Em ano olímpico, ginasta brasileira recebe homenagem do projeto Mulheres Inspiradoras

Descoberto buraco azul mais profundo do mundo.

Taam-Ja’, no México, tem mais de 420 metros de profundidade

Cai número de analfabetos no Brasil.

No entanto, segundos dados do IBGE, país ainda registra 11,4 milhões de pessoas que não sabem ler nem escrever

Jabuticaba está entre as melhores frutas do planeta.

Além do sabor, benefícios para a saúde são levados em consideração

Qualé a desse mundo: especial animais!.

Conheça o tatuzão brasileiro, a formiga que parece um vilão e o cachorro panda.

Rio Grande do Sul precisa de ajuda.

Correntes de solidariedade se espalham pelo Brasil; crianças e jovens também se mobilizam

Pesquisa mostra que telas podem prejudicar desenvolvimento das crianças.

A cada minuto adicional de tempo de tela, elas ouvem menos as palavras dos adultos

Entrevista com o palhaço Trambique: rir é o melhor remédio.

Marcelo Burger atuou em circos, festas e ONG em hospitais

Última Edição

Utilizamos cookies para garantir a melhor experiência em nosso site. Para concordar, clique em "Entendi". Saiba mais...