Qualé a Boa

Parkour: é cada vez maior a procura por cursos

Prática esportiva permite ultrapassar vários obstáculos somente com as habilidades do corpo

Por: Marcela Ibelli

17/03/2023 15:32 atualizado há 50 segundos

Imagem Parkour: é cada vez maior a procura por cursos
Créditos da imagem: Foto: Lucas Belmonte/Divulgação

Pular muros, saltar de um lugar para o outro, pendurar-se em corrimões. Já tentou fazer isso? Pois saiba que tem uma galera que adora usar a força, o equilíbrio e a precisão dos movimentos do corpo para superar esses e outros desafios. São os praticantes de parkour. Aliás, é cada vez maior a procura por cursos para essa atividade. Não há idade certa ou tipo físico específico para praticar, todos podem tentar.

“É importante ter um bom acompanhamento e começar com movimentos básicos, como saltar de um ponto a outro”, explica Leonard Akira, professor da escola Parkour Brazil. “A consciência dos riscos é a maior dica de segurança do esporte. Ensinamos o aluno a reconhecer quais os seus limites e o que pode fazer sem se machucar.”

Breno, 13 anos, do 8o ano do Colégio Suller Garcia, em Itaquera, São Paulo, viu um vídeo de parkour e quis aprender. “Precisa ter disciplina nos treinos. Costumo praticar só quando o professor ou um adulto está olhando”, diz.


Você sabia?

O esporte foi criado na década de 1980 pelo francês David Belle como um método de  treinamento inspirado na preparação de soldados do exército. Parkour tem origem na palavra francesa “parcour”, que em português significa “percurso”.


INFLUENCIADORES

A atividade tornou-se mais conhecida graças aos vídeos dos praticantes postados na internet, como Salomão Parkour, Noa Diorgina, além de Brandon A, Matt Larose e Nick Pro. Foi Nick quem inspirou Ícaro, 4 anos, da escola Projeto Criando, de Guarulhos, a fazer uma aula no Start Park. Ícaro adora pular de um lugar para o outro e superar obstáculos, como subir uma rampa correndo.


GAMES

O parkour também aparece em jogos de videogame como o Roblox e o Minecraft. As irmãs gêmeas Rafaella e Manuella, 10 anos, do 5o ano da Escola Cidade Maia, em Guarulhos, começaram o curso após jogar Roblox. “É mais difícil na vida real, mas é divertido”, afirma Rafaella. “Precisa ter bastante coordenação motora”, completa Manuella. Até um robô humanoide já entrou na diversão. No vídeo, ele aparece subindo escadas e realizando manobras acrobáticas, como a sick trick, em que empurra uma caixa, pula nela e faz uma pirueta..


LOCAIS PARA TREINAR

Pode ser praticado nas praças, parques e até no quintal. Em São Paulo, tem o Parkour Park, no Bom Retiro, e as escolas Parkour Brazil (em locais abertos variados) e a Tracer Parkour (Vila Madalena e Santana). Em Guarulhos, tem a Start Parkour e, em São Bernardo, a De À B. No interior, a Parkour Campinas também oferece aulas.



Por que fechamos os olhos quando espirramos?.

É um mecanismo de proteção do corpo para os respingos de saliva.

Brasileira ganha Copa do Mundo de patins.

A sorocabana Ana Júlia da Silva, a Julika, é a primeira mulher a realizar a manobra 900º

Descoberto buraco azul mais profundo do mundo.

Taam-Ja’, no México, tem mais de 420 metros de profundidade

Cai número de analfabetos no Brasil.

No entanto, segundos dados do IBGE, país ainda registra 11,4 milhões de pessoas que não sabem ler nem escrever

Jabuticaba está entre as melhores frutas do planeta.

Além do sabor, benefícios para a saúde são levados em consideração

Qualé a desse mundo: especial animais!.

Conheça o tatuzão brasileiro, a formiga que parece um vilão e o cachorro panda.

Rio Grande do Sul precisa de ajuda.

Correntes de solidariedade se espalham pelo Brasil; crianças e jovens também se mobilizam

Pesquisa mostra que telas podem prejudicar desenvolvimento das crianças.

A cada minuto adicional de tempo de tela, elas ouvem menos as palavras dos adultos

Entrevista com o palhaço Trambique: rir é o melhor remédio.

Marcelo Burger atuou em circos, festas e ONG em hospitais

Última Edição

Utilizamos cookies para garantir a melhor experiência em nosso site. Para concordar, clique em "Entendi". Saiba mais...